16/07/2015 - 18:37     |
Procon e Sindicato prometem fiscalização de meia-entrada e venda de produtos na Exposul
Fonte: Da Assessoria
Foto: Assessoria
Em reunião realizada na manhã desta quinta-feira (9) na sede da Coordenadoria de Proteção e Defesa do Consumidor – Procon, entre o órgão e a diretoria do Sindicato Rural de Rondonópolis, ficaram definidos os pontos dos Termos de Ajustamento de Conduta - TAC da 43ª Exposul. O encontro serviu também para esclarecimentos sobre algumas dúvidas levantadas na reunião da semana passada. Sobre a questão da meia-entrada ficou definido que a lei será cumprida rigorosamente, sendo exigidos os documentos que comprovam o benefício na entrada do evento. De acordo com o coordenador do Procon, Juca Lemos, a meia-entrada poderá ser adquirida por qualquer pessoa, porém é obrigatório a apresentação dos documentos para entrada no parque. “Serão aceitos como prova, todos os documentos especificados em lei. O presidente do sindicato fez o compromisso de fazer uma divulgação ampla prestando os esclarecimentos aos consumidores, que os documentos que comprovam o direito a meia-entrada serão exigidos somente na entrada do evento”, explica Juca. O Sindicato Rural de Rondonópolis informou que ainda não estão sendo divulgados os prêmios da Exposul premiada, devido ao atraso na empresa de marketing e ao falecimento do cantor Cristiano Araújo, umas das atrações da exposição. Porém se comprometeram em até dez dias resolver a situação. Ainda de acordo com a diretoria da entidade, o passaporte da 43ª Exposul começou sendo comercializado a R$ 180, 00, e que o valor em dias de show será de R$ 80,00 e meia R$ 40,00. Segunda, terça e quarta-feira a entrada será gratuita. Outro tema debatido foi sobre o estacionamento, alvo de muitas reclamações no ano passado, e que segundo o Sindicato, este ano terá um preço único para todos os dias, definidos desta forma: carro R$20,00 e motocicleta R$ 10,00. Sobre os valores dos produtos comercializados dentro do parque, um das preocupações do Procon foi sobre os preços praticados pelos “lateiros”, que são de responsabilidade do sindicato. De acordo com o presidente do sindicato, Francisco Pugliesi de Castro, algumas medidas serão tomadas, a fim de inibir a venda de bebida por valores abusivos. “Sugerimos que nas caixas de isopor seja colocado uma tabela de preços, com assinatura de termo de responsabilidade dos respectivos vendedores e uso de colete com a tabela de preços. Realizaremos o cadastro de todos os vendedores, para facilitar a identificação e coibir as vendas com preços superiores à tabela de valores”, disse. Ficou acordado no encontro que um dia antes do evento haverá uma reunião com os vendedores para a divulgação dessas informações, e também assinatura de um termo de compromisso dos vendedores e realização do cadastramento. Caso ocorram irregularidades por parte dos vendedores, eles serão descredenciados e encaminhados à autoridade policial para prestar esclarecimento. O valor da bebida não foi informado, pois o sindicato ainda não fechou com uma fornecedora.
 
© Copyright 2017 Todos os Direitos Reservados by clube7web