05/05/2014 - 09:52     |
Incertezas na safrinha mato-grossenses de milho
Fonte: Diário de Cuiabá
O desenvolvimento das lavouras mato-grossenses de milho segunda safra se apresenta, até então, satisfatório como destacam os analistas do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). Mas a preocupação sobre o que esta safra vai apresentar segue tirando o sono dos produtores já que vários fatores serão determinantes para o saldo de 2014. E todas as incertezas fitossanitárias e climáticas sobre a produção estão afetando as negociações do milho, em Mato Grosso. Como destacam os analistas do Imea, o desenvolvimento agronômico segue dentro dos padrões. “Até a última semana de abril estima-se que 91,6% do milho segunda safra semeado em Mato Grosso na temporada 13/14 esteja em fase de pendoamento, 7,8% já em enchimento de grão e 0,9% em maturação”, mas há um leque de preocupações que estão reverberando nos negócios, na comercialização do cereal. “Há relatos do ataque de lagartas em algumas variedades do cereal e a consequente incerteza dos produtores quanto à produtividade do milho nesta safra, bem como a acentuada diferença entre os preços futuros, registrados na última semana em Mato Grosso com média de R$ 15,40/sc para entrega em agosto e pagamento em setembro. Isso tudo, reduziu o ritmo da comercialização do grão no mercado interno mato-grossense”. Das mais de 15,23 milhões de toneladas esperadas, 11,5% estão vendidas de maneira antecipada. No ano passado, das 22,53 milhões de toneladas colhidas, até este momento, mais de 17% estavam negociadas. Para ter uma ideia da disparidade do mercado, a produção prevista em 2014 é pelo menos 32% menor que a consolidada no ciclo passado. A previsão para este ciclo é de uma oferta bem inferior ao que o Estado vinha atingindo nas últimas duas safras. O Imea projeta uma produtividade 6,1% inferior a do ano passado, com o rendimento passando de 101,5 sacas por hectare para 85,4, redução de quase 16%. Em relação à área semeada, a superfície encolheu 19,17%, ao passar de 3,70 milhões hectares para 2,97 milhões. COTAÇÃO - O mercado internacional, por sua vez, reflete atualmente as expectativas de evolução da semeadura do milho da safra 14/15 nos Estados Unidos – maior produtor mundial do cereal - influenciada principalmente pelo clima. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), até o dia 27 de abril os trabalhos de semeadura do milho norte-americano já se apresentavam 19% realizados. Se há um ponto positivo, entre os vários fatores que trazem preocupação, ele está na possibilidade de ascensão das cotações. “As projeções de redução da oferta do cereal, tanto no mercado interno em Mato Grosso, quanto no mercado internacional por parte do maior produtor mundial de milho, elevam a expectativa dos produtores em relação a melhores preços para a comercialização de sua produção”, aponta o Imea.
 
© Copyright 2018 Todos os Direitos Reservados by clube7web