12/11/2012 - 14:09     |
Ceva lança vacina contra Mycoplasma gallisepticum e Bouba Aviária
Fonte: Agrolink
A Ceva Saúde Animal amplia ainda mais seu portfólio de vacinas vetorizadas com a Vectormune FP-MG para prevenção do Mycoplasma gallisepticum (MG) e da Bouba Aviária. O MG é um agente infeccioso que afeta principalmente o sistema respiratório, provocando grandes perdas econômicas em frangos de corte, galinhas e perus. Atualmente, no Brasil, o MG é um agente de erradicação obrigatória em linhas puras e aves matrizes. No entanto, a enfermidade continua presente em plantéis de galinhas poedeiras comerciais e frangos de corte. Hoje o controle é realizado por meio do uso de antimicrobianos específicos e de vacinas vivas ou inativadas. As vacinas vivas parecem uma boa opção de controle, contudo, existe transmissão horizontal do micro-organismo vacinal em níveis diferentes conforme o produto. Já as vacinas inativadas induzem um bom nível de anticorpos humorais, mas ainda permitem a infecção pelo agente. A Ceva, dentro da proposta de levar soluções inovadoras ao mercado, trouxe para o Brasil a primeira vacina vetorizada para o controle do MG, a Vectormune FP MG. O lançamento apresenta uma série de vantagens, como: a. Ausência do MG vivo: com isso, não existe nenhuma circulação do agente vivo vacinal dentro da granja; b. Ausência total de reação pós-vacinal: além de evitar o inconveniente das reações respiratórias pós-vacinais, ainda possibilita a utilização concomitante com outras vacinas respiratórias; c. Possibilidade de monitoria: devido à ausência de soroconversão, a presença de infecção de campo pode ser detectada facilmente pelos métodos tradicionais; d. Conveniência: a vacina é vetorizada no vírus da Bouba Aviária. A vacinação contra a bouba já é realizada na rotina das granjas, portanto, não existe nenhum manejo adicional; e. Segurança: não existe possibilidade de reversão de patogenicidade, nem de lesão causada pela vacina; f. Flexibilidade: a vacina pode ser realizada a partir da quarta semana de vida, sem a necessidade de retirada de antibióticos ou cloro. Outro posicionamento possível é o de substituição das vacinas tradicionais, uma vez que a ausência de agente vivo possibilita uma “limpeza” total da circulação do MG. Segundo o Gerente de Marketing de Avicultura, Alberto Inoue, a Ceva dispõe agora de duas opções para um programa vacinal completo contra o MG: a Cevac MGF, indicada para situações de alto desafio com substituição do micoplasma de campo por um organismo vivo mais atenuado, e a Vectormune FP MG, que não possui organismo vivo e permite o monitoramento para futura erradicação de qualquer micoplasma vivo na granja. “Estamos com uma ótima expectativa para a Vectormune FP MG, pois os relatos de colegas de outros países são bastante positivos quanto à segurança e eficácia. Pretendemos lançar o produto entre o final de 2012 e o início de 2013 para consolidar o posicionamento mundial da Ceva como líderes em vacinas vetorizadas e inovação para avicultura”, conclui Inoue.
 
© Copyright 2018 Todos os Direitos Reservados by clube7web